Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Longo Caminho para casa

A sina, o caminho, ou simplesmente uma história. Um caminho igual a tantos outros, ou, uma história de vida, semelhante a tantas outras vidas. Uma história vivida, ou apenas fruto da minha imaginação.

Longo Caminho para casa

A sina, o caminho, ou simplesmente uma história. Um caminho igual a tantos outros, ou, uma história de vida, semelhante a tantas outras vidas. Uma história vivida, ou apenas fruto da minha imaginação.

18
Mai19

Longo Caminho para Casa - Trinta e Nove


Longocaminhoparacasa

496546784

      No céu , Maria podia ver mais uma estrela a brilhar…

      Sentia o céu cada vez mais como parte de si…

        É impressionante como nos sentimos à medida que vamos sentindo o tempo a passar por nós. À medida que vamos vivendo a vida, vamos sentindo toda a natureza, como algo que cada vez mais, vai fazendo também parte de nós…  

Cada vez mais a vamos conhecendo melhor, a vamos sentindo como nossa…

         Maria sentia isso ao olhar o céu… De dia podia sentir o calor do sol, admirá-lo e senti-lo com ela…

        Há noite, podia olhar as estrelas a brilharem no manto negro da noite, e sentir a sua companhia…

      Maria tinha perdido o bebé que tanto desejava, mas tinha-lo transformado numa das estrelas que todas as noites podia ver para si brilhando…

       Era uma mulher como tantas outras. Tinha a profissão que quis ter, não era de se queixar da vida, e estando ela já na casa dos trinta e alguns, sentia o desejo que qualquer mulher sente. O de poder sentir o amor de ser mãe…

      Tinha o coração grande, com algumas cicatrizes, mas nenhuma se comparava àquela com que tinha ficado… Podia até viver sem o amor de um amigo, de um homem, mas nunca de um filho…

        Sim, Maria já o sentia como tal… Como um filho, uma semente ou um rebento de todo o amor que tem dentro do si…  Reuniu nele todo o amor que tinha em si. Todas as forças, deu-lhe todo o seu sentimento,  tudo de si…

      Naquela altura, tudo parecia mais calmo, mais sereno… Toda aquela fase de tranquilidade explodiu em poucas semanas. Primeiro, com a noticia de gravidez de risco. Depois com a prenuncio do fim…

         Maria não era mulher de parar.. Nunca foi.

         E não se convenceu que tinha de parar… Agora sobejam-lhe as  ideias de culpa… Mesmo quando os entendidos lhe dizem, que fez tudo certo…  Que  a natureza é soberana. Há sempre algo dentro dela que numa rajada forte e seca de vento lhe diz, podias ter feito mais… O sentimento de culpa mitigado com impotência e raiva é o sangue que lhe corria nas veias…

        Num pulo de semanas se passou para a triste noticia… Mais uma vez perdera sangue, e desta vez, já não havia vida…

        A ideia de ter o seu amor dentro de si a morrer, matava-a. Mas depois a noticia que o seu amor tinha morrido dentro de si, já a tinha morto…

       O amor morreu, a sua dor espelhava-se no rosto e as lágrimas tinham-lhe  partido para o céu…

    O tempo passou, reencontrou as lágrimas. mas aquelas que lhe correm agora no rosto, são o  cumprimento à estrela, que do ventre lhe fugiu para o céu …

CLR

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Maio 2019

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Comentários recentes

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

subscrever feeds