Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A sina, o caminho, ou simplesmente uma história. Um caminho igual a tantos outros, ou, uma história de vida, semelhante a tantas outras vidas. Uma história vivida, ou apenas fruto da minha imaginação.


14
Mai19

Longo Caminho para Casa - Dezasseis

por Longocaminhoparacasa

                       16

O dia havia sido demasiado longo.
A noite estava escura, mas, no céu brilhavam as estrelas.
As aulas tinham terminado. Já só lhe restava o longo percurso até casa.
Conforme caminhava ao som da música dos seus passos, pensava em como estava cansada e desejava não ter de atravessar lisboa, mas que a sua casa fosse logo aí no virar da esquina.
De repente avista o amarelinho de janelas brancas que romanticamente caminhava nos seus carris.
Segura firmemente a pasta que trazia na mão esquerda, com a direita aperta a mala contra o seu corpo e pensa, vou apanhar-te numa corridinha.
Do pensamento passou à acção. E não é que apanhou mesmo?
Subiu, e enquanto ainda pensava na sorte que teve, e que talvez a noite não se revele como o dia, é acordada com a travagem brusca que o guarda-freio acaba de fazer, espetando-a directamente contra o banco lateral que por sorte se encontrava desocupado.
Olha em frente vestida do seu olhar de reprovação e … Tem uma miragem. Não é que apanhou mesmo?
Viu a maré, e lá bem no fundo, o marinheiro que a gaivota levou. Tanto sonhou contemplando o mar, tanto sorriu quando avistava um barco que navegava lá longe no mar, sentindo o coração a acenar, querendo sonhar mais, tanto fez, que, alí estava. 
Sonhou que num dia ensolarado e quente, em que estivesse no cais, a maré lhe trazia de volta o seu sorriso, tal como já lhe havia trazido naquele velhinho electrico, e, alí estava ele de novo.
Num electrico mais novo, novamente aquele mesmo sorriso irritantemente bonito, e apaixonante.
Viu tantas mares que lhe perdeu a conta, mas não foi no caís que o reencontrou. Foi naquele que se tornou o seu ponto de encontro na capital! 
A alcoviteira amarelinha que navegava em longos carris, passeando-se pela capital, espalhando cupidos, unindo corações oriundos dos mares do norte.
CLR

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:39



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D